Normas de apresentação de artigo

 

A Revista E-Psi adota as normas de publicação da American Psychological Association – APA (6ª edição). Poderão ser consultadas em: http://blog.apastyle.org/ e em http://www.apastyle.org/learn/tutorials/basics-tutorial.aspx. Os artigos deverão ser redigidos em português, inglês, francês ou espanhol.

 

Autores do artigo

O artigo proposto para publicação deve vir acompanhado das seguintes informações:

  • A filiação institucional e/ou o grau académico do(s) autor(es);
  • O endereço eletrónico do autor responsável pelo artigo;
  • Opcionalmente, o endereço institucional.

 

Configuração das páginas e do texto

O trabalho deve ser enviado em ficheiro Word 97-2003 (Windows), com fonte (tipo de letra) Times New Roman, tamanho 12, espaçamento entre as linhas 1,5, texto justificado. O papel deverá ser de tamanho A4, com formatação de margens superior e inferior (2,5cm), esquerda e direita (2,5cm). As tabelas/gráficos/figuras devem ser inseridas no Texto e enviadas separadamente em ficheiros de imagem (JPEG).

 

Título

Os artigos em português, francês e espanhol devem incluir, adicionalmente, um título em inglês. Quando o artigo não é escrito em português, deverá conter o correspondente título em português.

 

Resumo

O resumo deve conter o mínimo de 100 e o máximo de 350 palavras. Deve conter também 3 a 5 palavras-chave que descrevam exatamente o conteúdo do trabalho. Todos os artigos devem incluir pelo menos um resumo em português e um resumo em inglês (Abstract). A par disso, poderão ser incluídos resumos em francês ou espanhol, em função do idioma utilizado no artigo submetido. Por exemplo: se o artigo for escrito em português, deve conter pelo menos um resumo em português e um resumo em inglês; se o artigo for escrito em francês, deve conter pelo menos um resumo em francês, um resumo em inglês e um resumo em português. Dependendo do tipo de artigo submetido, o resumo deve incluir uma breve referência ao problema investigado, ao(s) objetivo(s) do artigo, às características da amostra, ao método utilizado para a recolha de dados, aos resultados e às conclusões.

 

Abstract

O abstract e os resumos adicionais devem ser compatíveis com o texto do resumo. Devem seguir as mesmas normas, e virem acompanhados de keywords compatíveis com as palavras-chave. O mesmo se aplica aos resumos em francês ou espanhol.

 

Organização do trabalho

Todo o texto do artigo deve ter uma organização clara e conter títulos e subtítulos que facilitem a leitura. Para os artigos empíricos, o texto deve, obrigatoriamente, apresentar Introdução, Metodologia, Resultados e Discussão. Em todos os artigos deve constar uma Introdução e uma Discussão/Conclusão.

 

Bibliografia

As citações no texto e as referências bibliográficas devem seguir as especificações da American Psychological Association, que poderão ser consultadas em: http://blog.apastyle.org/.
Todas as referências bibliográficas devem ser formatadas com um avanço de 1cm a partir da segunda linha (parágrafo-> pendente-> 1 cm).

 

Por exemplo:

As citações no texto devem ser realizadas do seguinte modo:

Messick (1995) ou (Messick, 1995), para um autor;

Nunnally e Bernstein (1994) ou (Nunnally & Bernstein, 1994), para dois autores;

Para citar 3 ou mais autores: Primeira citação -> S. Eysenck, H. Eysenck e Barrett (1985) ou (S. Eysenck, H. Eysenck, & Barrett, 1985); Nas citações seguintes -> S. Eysenck et al. (1985) ou (S. Eysenck et al, 1985); Nota: Nas referências bibliográficas devem ser citados todos os autores (exceção para publicações com sete ou mais autores; ver APA).

Para citar 7 ou mais autores: Primeira citação e seguintes – Amariglio et al. (2012) ou (Amariglio et al., 2012).

Vaz-Serra (2000a) e Vaz-Serra (2000b), para citar diferentes publicações do(s) mesmo(s) autor(es) com a mesma data.

Para citar um livro:

Nunnally, J.C., & Bernstein, I.H. (1994). Psychometric theory (3rd ed.). New York: McGraw-Hill.

Para citar um capítulo de um livro (handbook):

Beutler, L.E., Malik, M., Talebi, H., Fleming, J., & Moleiro, C. (2004). Use of psychological tests/instruments for treatment planning. In M.E. Maruish (Ed.), The use of psychological testing for treatment planning and outcomes assessment – Volume 1: General considerations (3rd ed., pp.111-145). Mahwah, New Jersey: Lawrence Erlbaum Associates Publishers.

Para citar um artigo com doi:

Messick, S. (1995). Validity of psychological assessment: Validation of inferences from persons’ responses and performances as scientific inquiry into score meaning. American Psychologist, 50(9), 741-749. doi: 10.1037/0003-066X.50.9.741

Com 7 ou mais autores:

Amariglio, R. E., Becker, J. A., Carmasin, J., Wadsworth, L. P., Lorius, N., Sullivan, C., … Rentz, D. M. (2012). Subjective cognitive complaints and amyloid burden in cognitively normal older individuals. Neuropsychologia, 50(12), 2880-2886. doi:10.1016/j.neuropsychologia.2012.08.011

Para citar uma tese:

Vaz-Serra, A. (1972). A influência da personalidade no quadro clínico depressivo – Contribuição para o estudo de elementos patoplásticos da sintomatologia. Dissertação de Doutoramento (não publicada), Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, Coimbra.

 

Para mais exemplos consulte: http://blog.apastyle.org/